Confusão

74 PERGUNTA: Se você está confuso, é muito difícil fazer perguntas. Porque você está confuso, você simplesmente não sabe o que é. Existem apenas sentimentos.

RESPOSTA: Formule os sentimentos. Tente colocá-los em um pensamento conciso. Essa é certamente a parte mais difícil e mais importante. Só assim você pode chegar à raiz da confusão. Não é tão difícil quanto você imagina. Você tem que se estabelecer para querer fazer isso. Esclareça suas perguntas de forma concisa.

Mesmo que as primeiras perguntas sejam inadequadas, não importa. A partir dessas primeiras perguntas, você poderá tirar outras perguntas, até que elas vão mais ao ponto e o conduzam para mais perto da raiz. Você poderá, então, eliminar as perguntas com as quais começou, porque tratavam apenas da circunferência do problema, enquanto à medida que avança se aproxima do centro.

PERGUNTA: Mas a pessoa não fica confusa porque não consegue conter o que a perturba?

RESPOSTA: Não existe algo como “não se pode”. A maneira como você coloca isso implica que você pensa que não pode haver solução. Você pode pensar isso inconscientemente. Você pode, mais uma vez, inconscientemente, esperar que a solução seja entregue a você, pois você não pode resolvê-la sozinho. Está tudo errado. Já que você causou a sua confusão uma vez, você é o único - o único - que pode resolvê-la.

PERGUNTA: Pode-se tentar, mas geralmente apenas com pequenas coisas.

RESPOSTA: Exatamente. Comece com as pequenas coisas. Você não pode chegar aos grandes problemas de sua vida imediatamente, porque eles estão profundamente submersos. As pequenas confusões externas, entretanto, são os sintomas das confusões maiores e ocultas. Portanto, é necessário que os acontecimentos externos apontem para a condição interna.

Assim, as pequenas confusões do dia-a-dia, as coisas por si mesmas insignificantes ou sem importância, são as melhores para começar. Aqueles em que você pode se agarrar e se concentrar. Você pode formular seus pensamentos e perguntas apenas sobre o que você pode colocar o dedo. As pequenas coisas aparentemente insignificantes que o confundem servem para trazer à tona a confusão mais profunda.

Você sempre verá, ao analisar uma dessas pequenas coisas, que há algo mais vital em jogo, algum princípio subjacente importante sobre o qual você está confuso e obscurecido. Portanto, a melhor, na verdade a única maneira possível de fazer isso, é pegar os incidentes diários e trabalhar com eles. Isso não é difícil.

 

QA175 PERGUNTA: Quando criança, fui punido pelas coisas erradas e recebi amor pelas coisas erradas. Como isso pode ter influenciado minha vida como pessoa adulta?

RESPOSTA: Sim, claro, isso influenciaria sua vida. Não há dúvidas sobre isso. Agora, uma vez que você perceba isso, será mais fácil para você ver como isso distorceu, não necessariamente tanto seu senso de valor intelectualmente, mas emocionalmente, de modo que emocionalmente você está voltado para propósitos contraditórios.

Você não se permitirá expressar livremente o que há de mais positivo em você - sua natureza amorosa - porque automaticamente esperaria resultados negativos e vice-versa. Quando você expressa seu tipo particular de negatividades e isso não traz resultados positivos, você fica surpreso e indignado, talvez. E então essa distorção influenciaria sua direção interna.

Mas, você sabe, também é necessário que você veja que agora você está, de fato, livre e determina seu próprio sistema de valores emocionais. Você também pode ver - ao recriar a consciência, reorientar esses equívocos internos com a ajuda da meditação e outros meios e experimentações em seu trabalho e em contato com outras pessoas - que não é assim.

Você precisa se convencer de que, na verdade, os caminhos negativos trazem resultados negativos - não porque alguém o pune, mas porque a vida é assim. E suas expressões positivas devem eventualmente trazer resultados positivos, mesmo que você não possa ver isso diretamente.

Próximo tópico

Compartilhe