Integridade

QA175 PERGUNTA: Tenho um espasmo peculiar no peito do qual tomei conhecimento recentemente. Posso sentir se colocar a mão no peito. Acho que posso estar começando em uma nova direção e isso pode causar algum tipo de ansiedade.

RESPOSTA: Não, é mais do que isso. Não é apenas uma ansiedade de começar em uma nova direção, embora, é claro, isso seja parcialmente verdade. Mas prefiro reverter isso.

Eu diria que você está começando uma nova direção porque removeu a resistência suficiente para ser capaz de enfrentar certos sentimentos. Você está se tornando essencialmente capaz de enfrentar certos sentimentos em você que criam ansiedade. E é assim mesmo.

PERGUNTA: Você pode me dar algumas informações adicionais sobre isso?

RESPOSTA: Sim, posso dizer que é mais raiva e ódio do que você conhece, de maneiras mais específicas, e também medo de bons sentimentos, medo de se deixar expandir, de deixar-se levar por seu direito de nascença, de ser o melhor que pode ser .

PERGUNTA: Eu sinto que se eu realmente pegasse o que eu realmente queria e expandisse totalmente, não seria razoável.

RESPOSTA: Não necessariamente.

PERGUNTA: Quero dizer, deve haver um amortecedor em tudo isso no tempo presente.

RESPOSTA: Sim, talvez no momento. Mas não estou falando de nada específico neste momento. Estou falando sobre um estado de espírito, uma atitude, do que está vindo para você.

PERGUNTA: Então você acha que é a ansiedade que está por vir?

RESPOSTA: Não estou dizendo que a ansiedade está vindo para você. Eu digo que a ansiedade é resultado do seu medo de não merecer a felicidade de todas as maneiras possíveis. Essa é a sua ansiedade. Você tem que descobrir exatamente por quê.

Existem razões falsas pelas quais você pensa isso, e existem razões reais pelas quais você, como todos os outros seres humanos, viola sua integridade quando deseja algo irracional. Porque você deseja algo irracional, você não se permite o melhor da felicidade que é seu direito de nascença.

PERGUNTA: Quando você diz: “Não viole sua integridade”, isso é algo magnífico. Essa integridade é diferente para cada pessoa, não é? {Sim} O que determina seu tipo específico de integridade?

RESPOSTA: Só posso responder com exemplos, porque há muitos aspectos que seriam aplicáveis. É uma violação da integridade se você sacrificar seus bons sentimentos porque deseja a aprovação de um dos pais; se você sacrificar sua capacidade de dar amor e prazer e receber amor e prazer; se a sua capacidade de ter um corpo que desfruta plenamente do amor e do prazer em todos os sentidos está sendo sacrificada porque se deseja aprovação, isso é uma violação da integridade.

Outro exemplo de violação da integridade é se você tem um dom, sua vocação mais íntima - aquela que lhe dá prazer e felicidade e enriquece o mundo, e isso pode não se conformar com os sistemas de valores do seu entorno - e você sacrifica essa vocação que traz felicidade para você e para os outros porque não é grandioso o suficiente ou devido à sua necessidade egoísta de impressionar o mundo, então você viola sua integridade.

Ou ainda outro exemplo - são modos em geral muito freqüentes em que os seres humanos fazem isso, muito geral, muito freqüente - se você quiser de alguma forma ter seu bolo e comê-lo nessa maneira neurótica de brincar, de querer obter mais da outra pessoa do que a pessoa está disposta a dar - e isso sempre acontece da maneira mais sutil que pode facilmente ser encoberta por modos de ser aparentemente opostos, por racionalizações - isso é uma violação da integridade.

Se alguém faz as outras pessoas se sentirem culpadas de maneiras muito dissimuladas, de maneiras em que usa a própria infelicidade como uma arma contra os pais, isso é uma violação da própria integridade, do próprio ser. É claro que há muitas variações, mas essas seriam as maneiras mais comuns de fazer isso, e essas são as verdadeiras culpas.

A pessoa trai o melhor de si mesma para obter aprovação. Eu disse isso na verdade, mas essas são auto-traições. E eles são muito sutis; eles não são vistos facilmente. Exige muito discernimento, orientação, trabalho e boa vontade antes mesmo que possamos discernir essas sutilezas.

Mas essas são as verdadeiras culpas que sempre levam a maneiras de punir a si mesmo, de diminuir o prazer e a felicidade e de criar padrões que são obviamente falsos e culpa injustificada. Pois, digamos, se alguém disser: “Não mereço esta felicidade”, é uma falsa culpa.

Próximo tópico

Compartilhe