O inconsciente

QA178 PERGUNTA: Este Caminho no qual estamos trabalhando para chegar ao nosso centro envolve a exposição de processos inconscientes. Existe em nós um equívoco básico sobre o conceito de inconsciente?

RESPOSTA: Sim, muitas vezes há um equívoco nas seguintes maneiras. Muitas vezes as pessoas acreditam que o inconsciente é puramente destrutivo e um inimigo. Em outros casos, as pessoas acreditam que o inconsciente - ou o subconsciente, como também é chamado - é puramente positivo e divino. Em outros casos, acredita-se que o inconsciente seja uma entidade separada, uma coisa separada.

Portanto, as pessoas concebem todas as coisas diferentes em si mesmas. Existe o aspecto divino do inconsciente. Esta é uma entidade, por assim dizer. Existe a criança destrutiva, o eu infantil e neurótico, que também é considerado uma entidade separada. E então há o eu instintivo, com seu maravilhoso aparato de construção do corpo, novamente, que é concebido como uma coisa separada.

Portanto, tudo isso é uma confusão, pois há apenas consciência. A consciência está na entidade humana viva; é parcialmente consciente - atento - e parcialmente a consciência se afasta dele - seja o elemento destrutivo das atitudes e influência psíquicas ou seja o elemento construtivo.

Muito do que é supostamente inconsciente não é realmente inconsciente. Simplesmente não é olhado - mas é realmente muito superficial. Portanto, essas e outras confusões semelhantes existem.

Você pode pensar nisso como uma consciência que permeia todo o universo. A separação de até mesmo um ser humano de outro é apenas uma separação espúria - uma separação de tempo, de mente, de espaço, de conceito, de consciência - mas não na realidade. Mas isso seria realmente muito difícil para a consciência humana - como a consciência se manifesta - perceber no momento; seria principalmente uma teoria. Essas, eu diria, grosso modo, são algumas das confusões gerais.

Próximo tópico

Compartilhe