Energia Geral

QA149 PERGUNTA: Você pode comentar sobre a natureza do campo de força da energia do homem e os efeitos que tem sobre outras pessoas. Como é influenciado pela natureza, pelas circunstâncias, condições climáticas e eventos?

RESPOSTA: A natureza do campo de energia de cada criatura viva é a soma total de sua personalidade. Começa com o verdadeiro ser interior, que então, é claro, é coberto por todas essas camadas, que são na verdade uma expressão dos erros, dos equívocos e das emoções negativas.

Inclui como essas emoções negativas e equívocos são combinados - em que forma característica específica do indivíduo - com a forma como seus ativos pessoais são constituídos - seus principais ativos, seus principais passivos, suas idiossincrasias - juntamente com a forma como sua individualidade se manifesta através de todos os idades de seu desenvolvimento interior - onde ele está, do ponto de vista da evolução. Em outras palavras, toda a história desse indivíduo em particular é expressa no ou pelo campo de energia. O campo de energia é, eu diria, um reflexo disso.

Os vagos olhares que um ser humano pode descobrir ocasionalmente são apenas fragmentos desse campo total de energia. Uma entidade que está muito livre, liberada e completamente sem camadas opera espontânea e diretamente a partir do núcleo de seu eu real e, portanto, não é uma criatura dotada de um corpo físico - o corpo físico sendo a manifestação mais externa dessas camadas. Tal criatura verá o campo de energia e saberá imediatamente toda a história daquele indivíduo. É como um projeto. Ele conta em uma imagem toda a história.

As entidades que são menos liberadas - e, portanto, mais cegas - só podem ter vislumbres e podem, na melhor das hipóteses - laboriosamente, por meio de suas percepções intuitivas - ter indícios do que podem significar certos aspectos que vêem.

Agora, chego à segunda parte de sua pergunta, que é o efeito do campo de energia que um ser humano exerce sobre outros seres humanos. Novamente, isto é, quando colocado em palavras, um processo muito complicado. No entanto, na realidade, é muito simples.

O eu interior percebe inconscientemente. O que é percebido e como é percebido depende da forma e do grau em que o núcleo real é coberto, tanto em quem percebe quanto naquele cujo campo está sendo percebido. O modo como essas duas pessoas se relacionam depende de quantas tampas e da espessura delas.

Quais são as constituições das coberturas específicas do núcleo? Como eles afetam um ao outro? Em outras palavras, essas duas pessoas estão mais relacionadas no eu real ou afetam-se mais em suas capas? É assim que, inconscientemente, o campo de energia será experimentado.

Para traduzir isso em termos humanos, você pode dizer que não gosta ou não gosta de uma pessoa. Se você gosta de uma pessoa, você percebe a verdade mais íntima dessa pessoa. Se você não gosta de uma pessoa, algo em sua capa externa não consegue passar e você percebe as piores características dessa outra pessoa.

Nesse caso, apenas partes do campo de energia serão percebidas, o que afetará novamente o seu próprio campo de energia que faz a percepção. Essas são, então, reações instintivas aos outros, em vez de reações intuitivas e espontâneas, em oposição às reações compulsivas e impulsivas.

É assim que o campo de energia afeta os outros. Depende de ambos e de sua capacidade de perceber através, que é determinada pela própria liberação em aspectos específicos. É possível, por exemplo, que uma pessoa relativamente liberada reaja muito negativamente a alguém que encontra. Pode ser porque a pior característica dessa pessoa afeta uma parte da pessoa liberada que ainda não foi liberada, que ela ainda não compreendeu completamente em si mesma.

Agora, chegamos à terceira parte da sua pergunta, que é a influência do clima e das forças naturais. Aqui devo enfatizar - e não posso enfatizar isso com força suficiente - tais influências são sempre secundárias. Pois não poderia ser de outra forma.

Não pode ser que algum indivíduo seja vítima de circunstâncias que ele não pode controlar. É sempre, finalmente, a própria entidade que determina se as condições externas, sejam climáticas ou outras, podem afetá-la.

De modo que, para todos os efeitos, pode parecer verdade que o mau tempo pode ter um efeito - digamos, para falar em termos humanos - mas esta condição climática apenas traz à tona uma condição negativa no eu que possivelmente está negativamente conectado com a outra pessoa, que sai muito mais forte em certos momentos. Esta é a resposta. Está claro?

PERGUNTA: Sim. Além disso, criamos formas-pensamento com o campo de energia e o que acontece com eles? O que acontece com o campo de uma pessoa doente?

RESPOSTA: Tudo bem, essas são duas perguntas. Vou responder primeiro ao primeiro: O que acontece com as formas de pensamento? Isso depende da natureza do pensamento. Se um pensamento é um pensamento de verdade e realidade, a forma do pensamento é indestrutível - não como um objeto rígido.

É energia indestrutível que é fluida e constantemente a mesma e, no entanto, diferente, sujeita a mudanças, sujeita a ser moldada a novas manifestações da mesma verdade. Pois uma verdade é muitas coisas.

A energia que constitui uma forma-pensamento da verdade é parte do processo universal, do reservatório cósmico de toda energia. Está em fluxo, em movimento - em movimento harmonioso contínuo. Ele pode ser remodelado em novas formas. É da poderosa substância criativa de que todo o universo é feito.

Pensamentos de mentira ou erro são, antes de tudo, formas muito rígidas. São formas desarmônicas que não se movem facilmente e que, portanto, formam obstáculos em todas as pessoas que aderem a esses pensamentos - sejam aqueles que os criaram ou outros que são afetados e influenciados por pensamentos de erro semelhantes.

O que acontece com eles é, obviamente, quase autoexplicativo. Visto que é energia enrijecida, essas formas-pensamento existem até que a energia seja liberada - ou, em outras palavras, até que o pensamento da verdade mude a energia enrijecida. Já que todo indivíduo criado deve eventualmente chegar à verdade - pois este é um processo evolutivo que não pode ser interrompido - é apenas uma questão de tempo (o tempo usado no que diz respeito ao conceito humano).

É algo inevitável. Então, em um momento, em um período, cada indivíduo percebe a verdade. E nesse momento a energia solidificada está sendo dissolvida e o pensamento torna-se fluxo novamente - fluido - e torna-se sua corrente de energia criativa original. Isso responde à sua pergunta?

PERGUNTA: Sim. E o que acontece com os campos de energia de uma pessoa doente?

RESPOSTA: Oh sim. Bem, essa é realmente a mesma resposta que eu disse sobre formas de pensamento de erro. A doença é um erro. A doença nunca é outra coisa. Sempre que a entidade doente chega à verdade, o campo de energia muda toda a sua característica. Portanto, esta é a resposta aí.

Novamente, como acontece com os pensamentos de mentira, é apenas uma questão de tempo - quando a verdade é realizada? - para que a energia destrutiva e congestionada se dissolva e se transforme em sua forma criativa original.

 

QA165 PERGUNTA: Você pode comentar sobre as semelhanças e as diferenças das energias do animado e do inanimado?

RESPOSTA: Na manifestação, é claro, porque essencialmente não há diferença. É isso que você quer dizer - em manifestação, dentro de si mesmo? {Sim}

Deixe-me começar com o animado. A energia animada tem uma motilidade tremenda. Tem uma taxa de freqüência tremenda - muito, muito rápida. Ele se move tão rápido que o olho humano, na maioria dos casos, é incapaz de percebê-lo.

De certa forma, o princípio talvez possa ser comparado a quando você vê uma hélice. Quando ele se move muito rápido, você não pode ver as várias partes dele. É o mesmo princípio. Com a energia animada, quanto mais alto é desenvolvido, mais rápido é. Quanto mais alta a consciência disso - quanto mais clara e menos distorcida pelo erro e pelo medo - mais rápido ela se move.

Enquanto a matéria inanimada é tão lenta que parece imóvel. Novamente, não posso dizer que seja imóvel, pois realmente não existe tal coisa. Pois tudo o que vive deve estar em movimento. Mas às vezes o movimento é tão lento que pode ser visto com o olho humano, assim como o movimento pode ser tão rápido que não pode ser visto com o olho humano no animado. Esta é uma diferença.

A outra diferença está na cor. A cor da energia em movimento, energia animada, é muito fina; a cor da energia inanimada é muito pesada. Existem, é claro, inúmeras outras dimensões da percepção sensorial envolvidas que podem parecer incríveis para os humanos, e ainda assim são.

A energia tem tom, tem cheiro, assim como muitos outros sentidos que não existem no espectro humano e que só aos poucos estão sendo descobertos até na ciência. No que diz respeito ao tom, o mesmo seria verdade. O tom da energia em movimento é alto. O tom de energia imóvel é baixo.

PERGUNTA: Você pode dar uma definição ou uma explicação mais detalhada da palavra "energia?" Qual é a substância do conceito de energia? O que isso significa? Por exemplo, é a mesma definição de energia da forma como é definida na física. É uma palavra tão universal. O que isso significa?

RESPOSTA: Sim, sim, essa é uma pergunta muito boa. Energia, talvez seja melhor eu colocá-lo, é a força viva que emana da consciência. Desnecessário dizer que existem variedades literalmente infinitas de energia.

Para dar um exemplo, a energia de um conjunto específico de processos de pensamento é muito diferente das energias de um determinado conjunto de sentimentos. A energia dos sentimentos é novamente diferente, digamos, do que a energia do corpo, ou a energia da criação - seja ela qual for. Qualquer forma de expressão de vida tem seus diferentes tipos de energia - a emanação da consciência, conforme ela se expressa.

Agora é frequentemente esquecido que a energia é apenas um reflexo de algo que está por trás dela, e o que está por trás dela deve ser a consciência. Pois isso é o que determina o tipo de energia, a onda da energia, a motilidade da energia e assim por diante. Essa é, talvez, a melhor maneira de expressar isso no momento.

PERGUNTA: O que é consciência, então? Sempre pensei nisso em relação à energia. Isso é algum tipo de primeiro princípio?

RESPOSTA: Não. A consciência é o ser vivo, o que determina, o que se conhece como existente, como “Eu sou”. Portanto, somente quando pode ser consciente de si mesmo, pode se tornar consciente de outras formas de existência.

PERGUNTA: Isso significa ego, não é?

RESPOSTA: Não. O ego é uma parte separada da consciência, uma parte limitada da consciência total e real.

PERGUNTA: O que é mais forte, a energia da emoção ou dos sentimentos?

RESPOSTA: Você não pode compará-los. Os sentimentos se expressam em energia. E a energia se expressará de acordo com o tipo de sentimento.

PERGUNTA: Você está familiarizado com o trabalho de Scientology e, se estiver, pode comentá-lo?

RESPOSTA: Bem, tudo que eu gostaria de dizer é que existem muitas, muitas formas de verdade, e cada uma tem seu próprio valor.

 

QA167 PERGUNTA: Estas são as perguntas do Dr. Pierrakos [psiquiatra, fundador da Core Energetics e futuro marido de Eva]. A primeira pergunta é: quais são os centros de energia do corpo?

RESPOSTA: Os centros de energia estão nos corpos sutis, exatamente onde as glândulas estão no corpo físico. Onde quer que as glândulas estejam no corpo físico, há um contra-centro no corpo sutil que é um centro de energia.

PERGUNTA: Onde eles estão localizados exatamente?

RESPOSTA: Exatamente paralelo às glândulas físicas.

PERGUNTA: Como eles podem ser afetados e desenvolvidos?

RESPOSTA: Eles podem ser afetados e desenvolvidos por todo este Pathwork, e pela abordagem física deste amigo, bem como por uma abordagem espiritual e emocional que este Pathwork total compreende.

Pois o sistema glandular - tanto no corpo físico quanto no sutil - está em relação direta com a atitude de uma pessoa. As atitudes sutis ocultas - tudo o que ele expressa, tudo o que sente, tudo o que pensa, tudo o que ele quer - tudo isso influencia todo o sistema glandular e os centros de energia.

Portanto, um ser humano que está com medo comprime os centros de energia. Uma pessoa que está em um estado de fluxo amoroso abrirá os centros de energia. Qualquer abordagem terapêutica que abra esses centros - porque a personalidade profunda, a psique profunda, desiste do medo, desiste dos conceitos errôneos que criam o medo -, portanto, ativa os centros de energia.

PERGUNTA: Somos feitos de duas entidades, já que o lado direito é a imagem espelhada do esquerdo?

RESPOSTA: Não, isso não significa que o homem seja feito de duas entidades. Isso significa que a entidade está dividida; não é unificado. À medida que a entidade se unifica, as funções do lado direito e esquerdo começam a mudar de uma forma mais dramática e bela, que não posso abordar neste momento, mas posteriormente voltarei a isso.

PERGUNTA: Isso é muito interessante sobre as glândulas. A retirada das amígdalas afeta esse centro de energia ali?

RESPOSTA: Bem, não é necessário, mas pode. A remoção de qualquer glândula ou parte do corpo é, obviamente, sempre o resultado de que o centro de energia sutil subjacente foi afetado devido a alguma atitude na entidade. Agora, quando a condição se torna irreversível e ocorre uma remoção do corpo, não é que essa remoção afete o centro de energia, mas o centro de energia afetado causou a remoção.

PERGUNTA: Recentemente, experimentei muito mais prazer em todo o meu corpo do que antes. No início desta noite, caí em um estado em que sentia apenas energia ou prazer por todo o meu corpo. Parecia estar concentrado no músculo do estômago e no que chamam de terceiro olho, no centro da testa. Senti essa energia e não a sinto em lugar nenhum com tanta força quanto então. Percebo que meu corpo não é capaz de sustentar esses jorros de energia, que surgiram, principalmente nos últimos meses, de uma forma ou de outra. Minha pergunta é: o que posso fazer para abrir outras áreas a fim de sustentar o que posso vivenciar disso?

RESPOSTA: Bem, em primeiro lugar, eu diria aqui duas coisas especificamente sobre essa questão, além, é claro, de uma pesquisa geral adicional dentro de você. As duas coisas são: encontrar, observar, compreender, ver e dissolver as constrições físicas e os pontos tensos que param imediatamente o fluxo da energia.

Se seu corpo não consegue sustentá-lo, é porque existem essas áreas em seu corpo onde você se tensiona, onde o bloqueia. Quando esses bloqueios se abrirem, você será capaz de sentir o fluxo e sustentá-lo por mais tempo.

Ao mesmo tempo, minha segunda sugestão é que cada vez que você sentir essa abertura, envie este pensamento meditativo para o seu ser mais íntimo, que os poderes divinos em você o guiem para se expandir, para deixá-lo fluir, para se tornar forte o suficiente para ser feliz e no prazer.

A humanidade muitas vezes tem a impressão de que os momentos infelizes exigem maior necessidade de oração e meditação. Eu diria que é pelo menos tão essencial ser forte o suficiente e ser guiado, inspirado e ajudado a se tornar uma pessoa feliz - saber como lidar com a felicidade e o prazer. Portanto, cada vez que você sentir isso, envie essa oração para você mesmo, e você se tornará forte o suficiente.

PERGUNTA: Eu experimentei que em certos ambientes, quando os arredores são propícios a isso, é muito mais fácil abrir e sustentar. Ao passo que no ambiente usual da vida cotidiana, é difícil por um motivo ou outro - embora teoricamente eu saiba que não precisa ser. Se sentirmos que o ambiente onde vivemos e a maneira como vivemos não nos conduzem a isso, é necessariamente uma fuga para ir para outro lugar, mesmo que se assuma a atitude de que, em última análise, sempre reside em você.

RESPOSTA: Não necessariamente. Acho que depende muito de quais são as circunstâncias. Eu diria que se tal mudança implicaria em medidas muito destrutivas no longo prazo, se isso significasse privar-se de algo que é muito essencial, ou se significa que há um certo propósito em suportar esta situação particular no momento e ali não há outra maneira, então perseverar temporariamente pode ser muito bom.

Por outro lado, pode ser igualmente verdade que o próprio fato de se perseverar em uma situação destrutiva que não tem, a longo prazo, bem como imediatamente, qualquer possibilidade de crescimento para todos os envolvidos, permanecendo aí haveria um sinal de fuga , mesmo fugindo do modo de vida feliz, bom e expansivo.

Portanto, é difícil dar uma resposta geral a isso, porque cada situação é diferente. Cada situação deve ser examinada à luz de toda a verdade e tão completamente quanto possível, a fim de determinar qual dessas alternativas é verdadeira. Mas pode ser de qualquer maneira.

PERGUNTA: Por que não há evidência visível dos canais de movimentos de energia quando o corpo é operado ou infectado? Existe algum desses canais e onde eles estão localizados exatamente?

RESPOSTA: Bem, eu já disse que os canais do corpo físico são tão invisíveis quanto a própria alma, como os próprios corpos sutis. O olho normal, o olho físico, não pode ver o corpo sutil. Portanto, ele não pode ver o fluxo de energia.

Essas coisas só podem ser vistas na medida em que a pessoa se torna perceptiva, clarividente para a matéria sutil. O mesmo se aplica às correntes de energia ou aos centros de energia.

PERGUNTA: Existem maneiras específicas de trabalhar com o corpo para remover bloqueios e liberar movimentos energéticos?

RESPOSTA: Sim, existem essas formas já em uso e outras que virão gradativamente por meio da orientação para quem pede, bem como para as pessoas daqui; mais virá, como já existe. Mas, por enquanto, essas formas são muito boas.

PERGUNTA: Nós descarregamos energia no ar? Captamos energia do solo? E absorvemos energia do ar?

RESPOSTA: Tudo é energia. Ele está no ar e na terra, bem como em todas as criaturas vivas, bem como na matéria inorgânica. A extensão da energia que está sendo assimilada, absorvida e utilizada depende da consciência da pessoa. É sempre a consciência que determina a acessibilidade.

Assim como no organismo humano, o fluxo de energia é determinado pela consciência, pela atitude. Portanto, o mesmo é verdade que quanto mais saudável uma pessoa, mais energia saudável ela capta do ambiente - o ar, os outros objetos, as outras entidades.

É um fluxo contínuo, um giro, um dar e receber. Ele pega e devolve. Para o doente, quanto mais aflito ou mais doente ele está, mais ele pode apenas tomar. Muitas vezes, apenas a energia já doentia é mais acessível, mais compatível com ele.

Ele talvez seja incapaz de absorver a energia saudável ao seu redor e também de sair de dentro dele. E ele também empobrecerá o meio ambiente absorvendo-o sem ser capaz de contribuir e reabastecer o mar de energia em que vive.

PERGUNTA: Você pode comentar sobre a conexão do movimento da figura oito no padrão de energia.

RESPOSTA: A figura oito é um movimento cósmico essencial do continuum, o fluxo que nunca termina. Onde quer que exista saúde, o número oito no fluxo de energia se manifesta.

PERGUNTA: Como os tranquilizantes e antibióticos afetam a polaridade da energia? O que mais eles afetam no corpo?

RESPOSTA: Eles têm essencialmente um efeito muito negativo. Eles paralisam o sistema. Eles paralisam o fluxo de energia. Por exemplo, tranqüilizantes são dados porque a energia é excessiva e não tem saída adequada; a personalidade sofre de uma tensão e superestimulação que o deixa em desequilíbrio. Então o tranquilizante estabelecerá uma harmonia artificial. Qualquer coisa artificial é ilusória e, no final das contas, terá um efeito pior.

É diferente com os antibióticos no sentido de que ninguém precisaria de antibióticos permanentemente. É, por sua própria natureza, uma medida muito temporária que supostamente corrige um tipo de aflição no corpo, e a aflição energética que vem daí a resolve naturalmente depois de um tempo.

É por isso que quase todas as pessoas que tomam antibióticos sentirão um cansaço maior do que o normal por um tempo - ele ficará mais fraco depois disso. Mas então o sistema eventualmente se liberta dos efeitos, e o sistema de energia começa a funcionar e expulsa essa coisa artificial que entrou nele e paralisou os fluxos de energia.

Com tranquilizantes, não é assim. É claro que tudo o que é feito de vez em quando não prejudica, porque o sistema saudável o prejudica novamente. Mas se os tranqüilizantes são administrados porque há uma condição crônica de superexcitabilidade no organismo, não é de forma alguma um tratamento eficaz e, a longo prazo, faz mais mal do que bem.

PERGUNTA: A vitamina B afeta a esquizofrenia?

RESPOSTA: Sim, tem um efeito muito bom. Tem um efeito muito favorável no sentido de que por meios naturais os centros de energia são fortalecidos o suficiente para que se possa realmente olhar para a consciência onde ela guarda os conceitos errôneos e onde os sentimentos são contraídos de modo que as energias são perturbadas.

PERGUNTA: Os medicamentos homeopáticos têm o mesmo efeito que os antibióticos?

RESPOSTA: Sim, às vezes. Depende. Você não pode fazer uma declaração geral. Alguns deles têm um efeito semelhante; alguns deles têm bons efeitos. Depende muito. Não me atreveria a dizer então um, todos eles.

Veja, depende muito do que eles são e para que propósito estão sendo usados. Quaisquer desses meios e medicamentos, se estiverem sendo usados ​​com o espírito de aliviar as manifestações físicas a fim de serem mais capazes de ir à raiz da consciência, então eles cumpriram seu propósito legítimo.

Mas quando eles são dados com o objetivo de curar ou curar o mal, então é um mal-entendido, seja o que for. Então, é apenas o sintoma sendo tratado e isso nunca é um remédio.

PERGUNTA: Ocasionalmente, tenho um espasmo no esôfago, da garganta até o estômago. É muito, muito perturbador, e não consegui me livrar dele. Você pode me falar sobre isso?

RESPOSTA: Sim. Essa manifestação é o resultado de uma grande retenção em você, retendo todos os tipos de sentimentos que você tem medo de deixar escapar. Posso prometer a você que, na medida em que superar sua relutância e seu medo de liberar esses sentimentos, esse espasmo irá embora.

Eu sugeriria como um exercício, pegue um travesseiro e grite nele o mais alto que puder. Permita-se sentir totalmente raiva e raiva, pois ainda não foi permitido que saíssem. Então, como próximo passo, permita-se expressar seus bons sentimentos que você também negou, como você sabe.

Você começou a descobrir isso com muito sucesso, especialmente em comparação com o pouco tempo que passa neste trabalho. Você fez um grande, grande progresso. Mas esse espasmo que você descreve é ​​a restrição da autoexpressão do que há de melhor em você e, por causa disso, a raiva se desenvolveu. Ambos devem ser liberados.

PERGUNTA: Fala-se de dualidade, mas você fala sobre bons e maus sentimentos. Você falaria sobre isso?

RESPOSTA: Bem, essa é a dualidade. Sentimentos negativos e sentimentos positivos surgem porque o homem está dividido. Ele constantemente faz mal-entendidos que se baseiam em um ou outro. Por ter essa atitude errônea de ou / ou sobre a vida, ele deve dividir seus sentimentos.

Tomemos um exemplo muito simples. Tomemos a criança que tem sentimentos de amor e cujos sentimentos de amor são frustrados por uma razão ou outra. Agora, imediatamente, a criança fica com raiva. Essa raiva é baseada na ideia, se fosse traduzida em palavras concisas: “Eu não sou amado. Eu não sou adorável; portanto, não devo ter sentimentos de amor ”.

Assim, os sentimentos de amor se transformam em sentimentos de raiva. Isso não significa que haja dois tipos de sentimentos. Mas existem muitos sentimentos e todos eles são baseados em um fluxo de energia.

PERGUNTA: Mas você fala de sentimentos positivos e negativos. {Sim} Você me falaria sobre esta classificação?

RESPOSTA: O ódio e o medo são sentimentos negativos, são sentimentos destrutivos, são sentimentos de separação, são sentimentos que são o resultado do erro que gera mais erro e, portanto, mais dualidade. Enquanto sentimentos de amor, sentimentos de ternura e generosidade, os sentimentos de unidade do universo trazem mais verdade, mais amor e mais unidade. Não entendo o que é tão intrigante para você nisso.

PERGUNTA: Ouvindo você, tenho a impressão de que a dualidade é ruim.

RESPOSTA: O que você quer dizer?

PERGUNTA: Apenas nessa palavra. Existe a sensação de que existem sentimentos corretos e bons sentimentos. E fica a impressão de que existem sentimentos ruins e sentimentos negativos e não devemos tê-los. No entanto, essa divisão é exatamente a dualidade que você diz que não é certa, não é correta.

RESPOSTA: Veja, não é uma questão de "não deveria". O fato é que eles existem. Eles devem ser aceitos e compreendidos em sua verdadeira natureza a fim de se dissolverem por si mesmos. Não é uma questão de moralizar consigo mesmo em um sentido religioso falso. É uma questão de autoaceitação e compreensão.

Em tal compreensão, deve-se ver que há destrutividade no homem que não deve ser negada, pois como pode o homem aceitar a si mesmo na verdade se ele não vê isso? Ele só pode se unificar quando se vê em seu verdadeiro estado no momento. Mas aceitar-se não significa ter a ilusão de que certas atitudes são construtivas e unificadoras, quando na verdade erram e são desunificadoras.

PERGUNTA: Costumo descobrir que minha garganta trava e estou sem voz. Você pode comentar?

RESPOSTA: Sim. Bem, esta é uma contração semelhante à que mencionei antes. É o medo da auto-expressão, e está impedindo os sentimentos como eles existem. Voltando por um segundo em conexão com sua pergunta, e em relação à resposta à anterior, "não se deve ter" seria uma advertência dizer "você não deve sentir raiva e ódio".

Eu digo que a raiva e o ódio estão em você. Você deve se permitir senti-lo, para que o perca naturalmente. Mas se você tem medo de sentir sua raiva e ódio e medo - você teme esses sentimentos - então você os negará, e isso irá dividi-lo e contrair você, e trará sintomas como o que você acabou de citar.

Agora, é claro, você precisa da ajuda adequada para aprender e ver como fazer isso, e também como diferenciar entre agir de forma destrutiva e aprender a reconhecê-lo de uma forma que não o separe ainda mais, de você mesmo e com o seu entorno.

PERGUNTA: Em Edgar Cayce, li outro dia que ele disse que psicólogos e psiquiatras falam em investigar o centro de olfato.

RESPOSTA: O quê?

PERGUNTA: Cheiro. Você poderia comentar sobre isso?

RESPOSTA: O que você quer dizer com isso, cheiro?

PERGUNTA: Bem, se as pessoas cheiram algo, elas podem conectar algo com elas mesmas. Cheire alguma coisa. Cheiro.

RESPOSTA: Não entendi muito bem sua pergunta. Quero dizer, o que ... cheira ... como ... quem cheira o quê? Eu não sei o que fazer.

PERGUNTA: Eles podem descobrir as associações livres por meio do cheiro, o que cheiram.

RESPOSTA: Sim, essa pode ser uma forma de voltar a certas memórias. Digamos que uma criança tenha memórias com certos cheiros. Certamente. Mas nem sempre estão disponíveis e ... não sei o que queres dizer com o que Edgar Cayce falou e até que ponto podes explicar, mas se te entendi bem e é só uma questão de cheiro, certamente, todos os sentidos da percepção memórias associativas e podem, dessa forma, ser usadas se estiverem disponíveis.

PERGUNTA: Estou muito impressionado com muitas das coisas que você diz, e estou muito curioso sobre sua formação e o treinamento que recebeu. Você poderia comentar sobre isso?

RESPOSTA: Você não precisa da minha resposta para isso neste estado. Você pode discutir isso com os amigos que estão muito familiarizados com este trabalho e que sabem o que é este canal.

Tudo o que eu gostaria de dizer é que todo ser humano na Terra tem a possibilidade de estabelecer contato com a sabedoria mais elevada do universo. Isso requer uma grande dose de auto-busca ardente e auto-confrontação e esforço corajoso e perseverante neste esforço para atingir a auto-realização deste Caminho. [A fita acaba]

 

QA171 PERGUNTA: Na última aula [Aula # 170 Medo da bem-aventurança versus anseio por ela - Os centros de energia] você falou sobre dois pulsos de energia que se relacionam com pontos do corpo - um que está na base da coluna e outro que está no diafragma. Você poderia falar um pouco sobre os outros quatro que você mencionou, em particular aqueles na parte de trás da base do crânio e no topo da cabeça.

RESPOSTA: Sim. Darei uma explicação muito, muito resumida. Mas em breve terei, é claro, uma ou mais palestras sobre esse assunto [Palestras # 172-173] Muito resumidamente, aquele nas costas - na nuca e também mais abaixo - regula as atitudes mentais e emocionais em relação à força, individualidade, autonomia, responsabilidade própria e tudo o que vem com isso - em outras palavras, a dignidade, o orgulho saudável do indivíduo, a espinha dorsal, a auto-afirmação.

Conforme a saúde ou a falta de saúde que prevalece em relação a essas atitudes, o centro de energia funciona de forma harmoniosa ou desarmoniosa. Agora, a energia aqui é a energia mental, ao contrário do centro que está na base da coluna - o centro sexual - que é principalmente uma metabolização de energias físicas.

Claro, vocês devem entender, meus amigos - e isso é muito difícil de explicar em tão curto espaço de tempo - que não há divisão completa em que um é completamente mental e o outro é completamente físico, porque sempre deve haver uma interação. Mas é mais predominantemente assim.

Os centros nas costas e na nuca são energia mental. Se uma pessoa se exaure porque a estrutura de equilíbrio de responsabilidade própria, de auto-afirmação, está perturbada - é muito forte ou muito fraca, conforme o caso - os centros de energia também são perturbados aqui. Às vezes, quando a pessoa está muito consciente da concentração nisso, pode até sentir um cansaço específico na nuca.

O centro de energia na garganta está relacionado com a metabolização das atitudes mentais e emocionais em relação à assimilação do material mental e espiritual. Como você assimila? Como você engole isso? Como você absorve - absorvendo o que vem - material mental e emocional? É por isso que, por exemplo, diz o ditado, algo está preso na garganta. Ele não consegue engolir.

Isso costuma ser dito sobre o material emocional. Este centro diz respeito à capacidade da pessoa de aceitar, de se ajustar, de se adaptar de forma flexível. Ele metaboliza e equilibra as atitudes em relação à aceitação, o que está em oposição direta à auto-afirmação e à coluna vertebral.

É por isso que ele está localizado paralelo - um na frente, o outro atrás. Deve haver um equilíbrio adequado entre os dois. A personalidade saudável encontra, automaticamente, esse equilíbrio. Agora, vejo que já me envolvo na palestra que não deveria estar aqui; isso deve vir em outro momento. Mas agora serei breve sobre o resto.

O centro entre os olhos lida com a visão - não a visão física, mas a visão espiritual: visão da vida, visão de si mesmo, visão da verdade. E o centro no topo da cabeça é ativado pela integração total da personalidade, com todos os outros centros funcionando em harmonia. É o centro que está diretamente conectado com o eu espiritual. Tanto para isso, por enquanto.

 

QA177 PERGUNTA: O mal é um estado de contração? E qual é o estado de masoquismo, então, quando um sistema está tentando se livrar da pressão de alguma forma?

RESPOSTA: É verdade que o mal e a contração são absolutamente interdependentes e intercambiáveis. Pois, se você realmente pensa, qual é o significado da contração? Se você traduzir a contração em palavras, significa o seguinte. Significa negação do amor, negação da doação generosa, negação da confiança - principalmente do universo e, portanto, de Deus e do bem.

É não acreditar no bem; não é confiar que o bem possa existir. É uma separação e um fechamento que nega o bem da Criação e, portanto, Deus, que nega o prazer e nega o amor e nega a expansão. Ela se contrai em si mesma e se torna dor e negação. Portanto, é muito, muito verdadeiro quando você diz que o mal e a contração podem ser igualados.

Agora, quanto à sua segunda pergunta, o estado de masoquismo que precisa ser liberado porque também é um estado de contração, em certo sentido, é baseado na seguinte dinâmica. Quando a personalidade se recusa a se expandir na confiança e na afirmação do amor pelos outros, por si mesmo, por dar e receber, pelo prazer no sentido positivo, o organismo se contrai e os sentimentos negativos que são parte integrante dessa condição também são retidos em - não por amor, mas por medo.

Porque se o amor existisse, os sentimentos negativos não existiriam. Assim, o sádico, podemos dizer, não tem medo de expressar os sentimentos negativos, enquanto o masoquista tem medo das consequências e as retém e expressa indiretamente, punindo os outros por meio de seu sofrimento. Há uma tremenda hostilidade envolvida na autopunição negativa.

Como todos sabem, todo sádico tem um lado masoquista e vice-versa. Ela flutua, quando se manifesta desta ou daquela maneira. E é, portanto, um estado contraído. A liberação que vem é sempre buscada inconscientemente.

O sádico cria a liberação do estado contraído explodindo negativamente, agindo negativamente, dando de forma destrutiva para outro ser humano. O masoquista cria a explosão, que é a liberação do estado contraído, prejudicando a si mesmo. Mas sempre há o objetivo de punir os outros com esse ato de autopunição. Isso responde à sua pergunta?

PERGUNTA: Sim, muito. Posso perguntar agora, o estado de contração é um estado de contração de todos os corpos sutis e do corpo físico ou é possível que você tenha diferentes estados aí?

RESPOSTA: Estados diferentes. Depende do grau. Existem, é claro, estados de contração tão intensa que todos os corpos sutis - exceto o eu espiritual, que nunca pode ser afetado - serão afetados, mais ou menos, incluindo o corpo físico.

Existem outros estados em que não é tão intenso e não global ou apenas certos aspectos ou certas partes do corpo físico e também dos corpos sutis serão afetados, o que você, como médico, além de ser capaz de ler o campo, pode muito determinar facilmente - que às vezes o corpo sutil só é afetado em certas áreas, mas dificilmente em todas as áreas.

PERGUNTA: Um estado de reencarnação é uma tentativa de criar nessa entidade um estado de pulsação plena?

RESPOSTA: Sim, claro, porque todo o processo evolutivo é isso; todo o desenvolvimento, toda a escala de evolução é isso. Cada estágio, cada passo, cada tentativa, cada expressão de vida de cada unidade de vida que existe, seja ela mineral ou vegetal ou animal ou ser humano, e independentemente do estado em que o ser humano se encontre, é sempre uma tentativa de restabelecer o estado de pulsação total.

Agora, você pode se surpreender ao saber que mesmo as expressões mais negativas, as expressões mais destrutivas da vida, são na verdade, no fundo, uma tentativa errônea de estabelecer a pulsação plena da vida. Acontece apenas que é buscado de maneira errônea. Talvez, de certa forma, nem mesmo errôneo - talvez isso seja momentaneamente necessário porque não há outra forma nesta conjuntura em que a alma se perdeu.

Na primeira palestra deste ano [Aula # 175 Consciência: Fascinação com a Criação], quando falei sobre o processo de autocriação e como o estado negativo está sendo criado, discuti essa questão.

No estado cego, no estado em que a criação negativa já está avançada e não se sabe mais nenhum outro caminho neste momento, a expressão é, no entanto, com o objetivo de criar pulsação, buscando o prazer divino, o prazer supremo que é o direito de nascença, o conhecimento inerente de que “este é o lugar de onde eu realmente venho, para onde realmente devo ir novamente, e este é o estado que é inerentemente meu. E é isso que quero restabelecer ”. Todas essas expressões de modos de vida visam isso - algumas mais diretamente, outras mais indiretamente.

Próximo tópico

Compartilhe