Medo de outro

QA150 PERGUNTA: Tenho um problema com esta mulher para quem trabalho, porque meu medo dela é muito excessivo. Percebo, em minha mente, que deve ser uma situação de mãe de alguma forma, ainda parece muito diferente para mim. Vejo todo tipo de coisa por que não deveria ter esse medo, mas tenho esse medo terrível dela e gostaria de ir além disso.

RESPOSTA: Sim, o que eu gostaria de dizer aqui é isso. Esse medo que você sente em relação a essa mulher é o medo que você reprimiu em relação à sua mãe - e não apenas o medo, mas também os ressentimentos e o ódio. Isso cria medo em você ainda mais do que o próprio medo dessa pessoa.

Agora, você ainda não chegou ao ponto em que pode se permitir reconhecer a força do ódio e o medo que uma vez teve quando criança em relação à sua mãe - isso ainda permanece em sua psique. Mas, ao mesmo tempo, você está suficientemente longe em suas autodescobertas, onde é possível experimentá-lo em conexão com outra pessoa.

Os feitiços gerais e vagos de ansiedade que você teve durante todos esses anos foram produto de não localizar o medo e o ódio, além do amor e da necessidade. Agora está se tornando mais concentrado e na forma dessa pessoa. É exatamente onde você está.

Posso prometer que o medo se dissipará exatamente na medida em que você puder admitir que o medo não pertence lá, mas pertence à sua mãe. E que o medo, mesmo de sua mãe, é resultado de seus ressentimentos - especificamente o conflito do ódio e do amor e da necessidade - e da rebelião contra os laços que te fazem querer obedecer a todas as suas regras e leis, e, digamos, a relutância de sua parte em assumir a responsabilidade por sua própria escolha, por sua própria conduta.

É aí que você está fisgado, porque é aí que você viola a sua integridade. Pois o seu eu infantil inconsciente e emocional diz: “Quero que minha mãe seja responsável por mim. Não quero ser levado em consideração por minhas próprias ações e escolhas. E, portanto, estou amarrado a ela, mas ao mesmo tempo me revolto quando ela não faz o que eu quero por mim. ” E é aí que você é fisgado pelo ódio e pelo medo.

Agora, quando você pode trazer tudo isso para a consciência, você tem a possibilidade de tomar a decisão que for necessária, a decisão que tem integridade para ser um eu, com toda a responsabilidade de ser um eu. Isso trará a integração de seu conflito e dissolverá suas dificuldades em suas emoções aqui. Voce entende?

PERGUNTA: Sim, mas sempre tenho um medo - não é uma descoberta muito nova - de que se eu tenho algo bom, ela está ruim, que eu só possa fazer isso às custas dela.

RESPOSTA: Bem, isso é precisamente porque você exige que ela viva a sua vida, seja responsável por você - que tire as coisas ruins da sua vida e resolva-as para que você possa ter o bem. É exatamente isso. Esta é a sua exigência dela. E porque você exige isso dela, você não pode parar de se ressentir, odiar, se sentir culpado, temer e obedecer - e odiar sua obediência.

Ora, esses são fatores muito gerais, de uma forma ou de outra, em um grau ou outro, aplicáveis ​​a todos, mas é, no entanto, uma experiência completamente diferente quando alguém descobre por si mesmo, como você faz agora.

Próximo tópico

Compartilhe