Recursos

QA179 PERGUNTA: [1970] Com tanta frequência nessas palestras, você faz referência à generosidade ilimitada da vida, à possibilidade e potencial ilimitados da riqueza da vida - espiritual, física e materialmente. Isso também deve ter uma contrapartida na condição do próprio mundo, e ainda assim o mundo está em um estado onde há um terrível esgotamento de recursos acontecendo, onde há o desenvolvimento de superpopulação, onde as espécies estão se extinguindo, e é um coisa muito preocupante. Parece uma contradição, como se houvesse uma limitação em desenvolvimento.

RESPOSTA: Parece uma contradição, mas na verdade não é uma contradição total. Pois a sua esfera terrestre, que representa um certo estado de consciência, se multiplica. O ser humano médio - digamos, se existe tal coisa, mas mais ou menos a consciência ou entidade média ou seu estado de consciência - sente exatamente da mesma maneira: ele sente que a vida é limitada, que há esgotamento em vez de expansão de força. Existem muito mais dificuldades do que alegria, etc.

E eu disse que a vida em sua possibilidade e potencial reais é ilimitada. Mas se ela se manifestará ou não em seu potencial ilimitado depende do indivíduo, de sua consciência, de sua compreensão disso, de sua consciência disso, de abrir espaço para essa possibilidade e, conseqüentemente, de suas ações e reações e atitudes. e pensamentos e sentimentos.

Agora, isso se aplica ao indivíduo e, portanto, à soma total de todos os indivíduos nesta vida. Na medida em que existem seres humanos que têm, até certo ponto, uma vaga idéia dessa natureza ilimitada da vida, nessa medida a vida se revelará dessa maneira. Onde havia problemas aparentemente insolúveis, novos recursos e novas soluções são descobertos para os problemas.

E como isso se aplica à maioria dos seres humanos que acreditam na desgraça e na negatividade e nos limites e na falta de abundância, e que percebem a vida como um inimigo contra o qual eles devem se defender e lutar por suas próprias negatividades, então isso será a experiência.

Na medida em que os indivíduos buscam um caminho em que desenvolvam seus potenciais e realizam os recursos ilimitados dentro do potencial humano, nessa medida a vida apresenta novas possibilidades, novos caminhos. Deixe-me dar um exemplo muito simples. Tomemos o mero cenário político. Como a humanidade está hoje, ela vê apenas uma quantidade muito limitada de possibilidades de governar um país, ou o mundo nesse sentido.

Você tem uma quantidade muito limitada de possibilidades disponíveis, ao que parece. Existem vários graus de formas radicais, conservadoras ou intermediárias de governo - isso é tudo que a humanidade vê neste ponto. Como não vê mais, não se aventura primeiro com a mente e depois com a exploração real de diferentes formas de governar a vida, os recursos, a humanidade como um todo e os indivíduos.

Mas no momento em que novas perspectivas são percebidas - e elas existem de forma literalmente ilimitada com o que já está disponível aqui, apenas as idéias de governar a vida - somente quando essas idéias forem contempladas e receberem atenção séria, de repente uma nova riqueza de vida se abrirá acima.

Isso se aplica, é claro, não apenas à cena política, mas também a todas as outras experiências humanas concebíveis que governam a vida. Não precisa ser tão limitado quanto é. É apenas porque a maioria da humanidade não leva em consideração outras possibilidades. Não há nada nem mesmo muito místico no que digo aqui. É realidade prática, o que eu digo.

PERGUNTA: Então você também está dizendo que se o homem pode estar aberto a essas novas idéias, essa tendência destrutiva, esse esgotamento, pode ser revertida?

RESPOSTA: Com certeza. Cem por cento. E cada indivíduo que está neste caminho experimentou que isso seja assim. Ele talvez tenha começado sentindo-se tão pressionado, tão preso em sua vida, tão incapaz de se expandir - e talvez totalmente ignorante de seus próprios recursos em energia, na riqueza de sentimentos, na criatividade, na força física, mental, emocional e espiritual, e em ideias. Nesse estado de espírito limitado que ele tem sobre si mesmo, ele percebe a vida da mesma maneira, é claro. Pois você não pode perceber a vida como algo diferente do que você percebe a si mesmo.

Então, o próximo passo será tornar a vida responsável por sua própria experiência limitada de si mesmo. Assim, ele se afasta ainda mais da vida, e o abismo entre a natureza ou a vida ou o universo ou o cosmos e ele se torna mais amplo. Mas esse abismo não é real. É imaginário. É apenas o abismo experimentado pela visão limitada.

Somente quando ele começa a se perguntar: “Isso é realmente tudo que há para fazer? Não tenho outra possibilidade senão fazer esta ou aquela escolha em uma situação específica em que me encontro, com minhas emoções, com meus conceitos de vida? ” E, é claro, antes de chegar a essa capacidade de decidir, você deve explorar primeiro quais são seus conceitos inconscientes. Isso é trabalho, como você sabe.

Mas, uma vez que você tenha alcançado essa consciência do seu ser mais íntimo, e veja o conceito limitado, você pode começar a questioná-lo. À medida que você começa a questionar isso com seriedade e honestidade, novas possibilidades surgirão no horizonte. Onde você se viu preso no início - apenas alternativas muito indesejáveis ​​que limitam totalmente a sua vida - você de repente começa a ver que há outras maneiras. E então a vida também começa a assumir uma nova forma. Isso é o que estou dizendo.

Próximo tópico

Compartilhe