Imposição de mãos

QA250 PERGUNTA: Durante os últimos meses, tenho sentido a necessidade de compartilhar e trabalhar com um grupo de massagem e cura, como uma extensão do Comitê de Saúde, que trabalharia em conjunto para a cura natural. Estou interessado em trabalhar com artrite, câncer, desequilíbrio da tireoide, problemas cardíacos e assim por diante. Temos nos concentrado na intenção negativa do Trabalhador, transformando-a em vontade positiva e nos sintonizando mais na força de cura da nossa vida e no espírito de Cristo.

Você tem alguma sugestão sobre a imposição das mãos e os centros de energia, como uma forma de ajudar na cura interior? E para ajudar a integrar nosso Pathwork, Core Energetics e Healing through Touch, você tem alguma orientação sobre os seguintes aspectos: dar e receber e sintonizar-se com a vontade de Deus; purificação, enquanto trabalhamos com nossos Assistentes individuais; imposição de mãos - que ênfase conceitual para a consciência de grupo; preparação de estudo, conhecimento de sistemas e técnicas de cura; pré-requisito e estágios de comprometimento.

RESPOSTA: Sim, todas essas abordagens são muito boas e necessárias. Quanto a eles, não tenho nada a acrescentar. Mas farei outra sugestão. Será útil e muitas vezes necessário - tanto para o curador quanto para a pessoa a ser curada - concentrar-se no que tenho a dizer aqui. É uma atitude de deixar ir e deixar Deus.

Isso é muito sutil e precisa ser focado com grande sensibilidade e consciência. Existem correntes sutis de ansiedade que dizem, com efeito: “Se não estou sendo curado, não posso acreditar na realidade de Deus e da Criação, no significado da vida e na vida eterna”. Isso equivale a uma espécie de ultimato secreto que coloca uma tremenda pressão e pressão tanto sobre o curador quanto sobre aquele a ser curado.

Você precisa descobrir isso e torná-lo consciente. Se você, como instrumento de cura, se conscientizar dessa pressão em você, também notará como, sem querer, respondeu a uma pressão semelhante da pessoa que se colocou em suas mãos. Isso se aplica até mesmo literalmente, pois as emanações de suas mãos contêm e carregam essa corrente e intensificam uma corrente mútua desse tipo.

Assim, a pressão, o ultimato inconsciente, o medo e a ansiedade relacionados a ele criam um bloqueio direto ao fluxo de cura. Tanto o curador quanto aquele a ser curado precisam se libertar desse obstáculo. Isso proíbe a atitude necessária de deixar ir e deixar Deus.

Aqui, a lei aplica que você deve estar disposto a desistir do que deseja ganhar. Quando Jesus falou em dar a vida para alcançar a imortalidade, para encontrar a sua vida, é isso que ele quis dizer. A insistência e a necessidade de que deve ser de uma forma e não de outra, o afastamento dessa outra forma, cria uma tensão interna que se opõe diretamente ao influxo de Deus, seja cura, verdade, sabedoria, amor, soluções ou o que quer que seja. A atitude rígida implica falta de confiança na natureza divina e na presença divina e na vida divina.

Tudo isso pode parecer contraditório. É realmente difícil de explicar. Isso não significa que você deve renunciar. Continua significando a consciência de que Deus deseja sua saúde, sua vida, seu bem-estar. Continua a significar que você visualiza e afirma isso - mas sem a corrente subjacente de ansiedade, medo, obstinação e desconfiança.

Portanto, não é absolutamente contraditório reivindicar saúde e bem-estar e, ao mesmo tempo, abrir mão totalmente do aperto de precisar deles para amenizar dúvidas e medos. Todos vocês precisam tatear e encontrar esse movimento interior, essa atitude sutil. Isso se aplica a tudo na vida, não apenas à cura.

Próximo tópico

Compartilhe