Render-se

QA245 PERGUNTA: Quero compreender e sentir mais profundamente o que realmente significa render-se. Qual é a natureza da rendição? É possível que o “eu” se entregue de alguma forma ou é uma atitude ou qualidade como se o ego fosse silenciado e apenas o ser se tornasse receptivo? Eu realmente não sei quem é Deus e, portanto, peço orientação na direção da entrega. A quem? Para quê? É apenas a própria atitude de rendição suficiente? E posso me render a um conceito, a uma ideia do que penso que Deus pode ser, ou não devo experimentar Deus inicialmente antes de passar para a entrega. Dizer “Eu me rendo totalmente à vontade de Deus” parece uma declaração tremenda que implica uma morte impossível do ego. Estou incorreto neste pensamento?

RESPOSTA: Render-se significa desistir. Significa ceder e fluir com o que está além do controle pessoal do ego. Certamente, a entrega básica deve ser sempre a Deus, ao Cristo que é o aspecto mais humanizado de Deus e mais próximo de seus filhos humanos. Se a entrega a Deus é a atitude primária, a verdadeira força e integridade devem ser restauradas e liberadas, ao contrário do mal-entendido comum, que acredita exatamente o contrário.

Expliquei isso longamente na última aula [Aula nº 245: Causa e Efeito em Vários Níveis de Consciência] Se a rendição a Deus, que é um movimento natural, for negada pela personalidade, rendições falsas podem ocorrer - para falsos deuses, para substituir poderes - e, consequentemente, o medo justificado irá deslocar e negar ainda mais a rendição real a Deus.

Se a entrega a Deus e à sua vontade existir em todos os aspectos da vida, será estabelecido um equilíbrio automático de entrega adequada em todas as áreas. Por exemplo, render-se ao amor e ao sentimento por pessoas especiais em sua vida será um movimento de fluxo livre, saudável e orgânico, nunca desnecessariamente retido e restringido, mas nunca exagerado e criando cegueira e abrindo mão da autonomia e da responsabilidade própria.

A rendição saudável a um líder, professor ou companheiro deve sempre preservar a verdade interior. Em termos práticos, isso pode significar uma divergência de opiniões e orientações. Se o líder, o professor, a autoridade ou o cônjuge se desviarem da vontade de Deus, o fato de você seguir essa pessoa constituiria uma auto-traição, uma traição à sua verdade e, como tal, à própria verdade.

Esse equilíbrio maravilhoso só pode existir se a entrega a Deus for total, profunda e sincera. Então você pode dar seu coração totalmente a outro ser humano, você pode entregar todos os seus sentimentos a ele ou ela, você pode reconhecer sua autoridade em certas áreas onde você precisa de liderança, mas acima de tudo, sua autoridade só pode repousar na autoridade de Deus. A sabedoria para saber como seguir e se submeter - e quando não fazê-lo - vem unicamente da entrega básica a Deus.

O “eu” pode de fato se render totalmente, mas somente a Deus. Somente rendendo-se a Deus ela se tornará posteriormente mais forte e mais integrada com o eu divino. Se o “eu” tentar se render a qualquer falso deus, ele realmente se perderá em um estado de não ego doentio. Você sabe que o ego deve existir para administrar este mundo no qual você estava se encarnando. Mas existe uma grande diferença entre ego saudável e ego doente, entre ausência de ego saudável e ausência de ego doente.

Você pede ajuda porque não sabe quem é Deus. Você começará a sentir sua presença palpável apenas quando realmente quiser encontrá-lo. Você realmente quer encontrá-lo? Ou talvez você queira manter uma briga com a vida e uma posição separada em que nenhuma exigência e responsabilidade possam ser feitas a você? Se você realmente deseja conhecer a Deus, deve desejar fazê-lo e orar para que possa sentir sua magnificência. Tudo que você precisa fazer é olhar ao seu redor e ver a maravilha da Criação em todas as coisas vivas.

Naturalmente, se você não conhece a Deus, não pode se render a Deus. E se você não se render a Deus, render-se aos outros é praticamente impossível. Mas talvez você possa se render parcialmente, ouvindo com um ouvido interno o que parece ser a verdadeira sabedoria - seguindo sugestões e instruções para ajudá-lo a remover todas as obstruções que o separam de Deus. Você está realmente incorreto em sua afirmação de que uma entrega total a Deus implica "uma morte impossível do ego." Como eu disse, o contrário é verdadeiro.

Próximo tópico

Compartilhe