evolução

24 PERGUNTA: Na última aula, você explicou que a existência física nesta esfera terrestre para os espíritos caídos não foi escolhida de forma arbitrária, mas é, na verdade, um resultado do grau de densidade que eles tinham naquela época. Houve um procedimento reverso quando ocorreu a Queda? Ou foi repentino?

RESPOSTA: Não, não foi repentino. Não pode ser repentino. Até mencionei que a queda também foi um processo muito gradual. Mas a esfera da Terra não surgiu no processo da Queda. Sua existência é resultado de um redesenvolvimento. Os vários estágios da queda se manifestaram em outras formas. Ao explicar parte disso, tratarei de outra questão da agenda. Alguns de vocês se perguntam se um espírito, antes de estar pronto para encarnar, tem que passar por esses vários estágios.

Aqui estão os fatos, assim como posso transmiti-los a você, pelo menos de forma condensada. Eu mencionei que no outono [Aula # 21 A Queda], uma pluralidade passou a existir a partir de uma unidade. Em outras palavras, ocorreu uma divisão. Não é apenas que o único ser, o ser dual, se dividiu ao meio, mas à medida que a queda continuou, a divisão se multiplicou e multiplicou.

Algumas dessas almas parciais tornaram-se, como expressão, vida mineral, vegetal e animal. Antes de a esfera da Terra existir, essas expressões existiam em outros mundos ou outras formas, e quando o mundo da matéria passou a existir, essas almas parciais encarnaram nessas várias formas.

Em outras palavras, a vida mineral, vegetal e animal na Terra são, pelo menos em algum grau, expressões de manifestação na curva descendente até que alcancem o estágio em que estão prontas para a encarnação humana, com períodos mais longos ou mais curtos entre - este varia com os indivíduos - de existência em mundos inferiores do que a esfera da Terra. Quanto mais alta a curva para cima, mais essas almas-partículas se unem novamente.

Por exemplo, a divisão é mais forte no reino mineral do que no reino vegetal, e o último é uma divisão mais profunda do que no reino animal. A alma parcial nem sempre tem que passar pelas mesmas formas de existência na curva descendente e na curva ascendente, mas às vezes deve passar pelos mesmos tipos de encarnação. Isso varia e acontece perfeita e minuciosamente de acordo com a lei.

Agora, você pode se perguntar sobre isso na medida em que você tem uma bela vida mineral, vegetal e animal, e por que essas formas de existência deveriam, em muitos casos, estar ainda na curva descendente e, portanto, estar mais atrasadas no desenvolvimento do que algumas almas que estão obviamente em um estado menos harmonioso. Para isso, minha resposta é: nem todos os seres são igualmente culpados na queda.

Além disso, nunca foi a personalidade inteira dos seres unificados a responsável pela Queda, mas certas tendências da personalidade que se prestam ao desvio da lei divina. No entanto, todo o ser caiu.

Ora, as belas e harmoniosas manifestações da natureza - seja na curva descendente ou ascendente - são expressões das partes do espírito que não estavam, ou apenas em menor grau, envolvidas no desvio da lei divina. Todos vocês sabem que certos animais, por exemplo, estiveram e ainda estão morrendo, e outras formas de vida animal passam a existir.

O mesmo se aplica à vida vegetal e mineral. Isso se deve ao fato de que a expressão da manifestação também é influenciada por outros seres que, como você sabe, são capazes de criar mundos e tipos de manifestação de força vital. Quanto mais seus desejos e objetivos são purificados, mais você contribui automaticamente ao mesmo tempo para a Criação e, portanto, é capaz de mudá-la para melhor, mesmo no que diz respeito às almas parciais na curva descendente.

PERGUNTA: É terrivelmente difícil de entender, mas de alguma forma entendo que eles precisam se recompor mais tarde para encarnar como humanos.

RESPOSTA: Sim. Os fluidos das várias partículas se conectarão quando atingirem uma forma superior de existência, assim como quando os seres duais, uma vez tendo alcançado esse estado de perfeição, irão fluir juntos e se tornar um. É o mesmo processo em princípio.

 

63 PERGUNTA: Existem duas teorias no mundo hoje. Eles estão em um dilema. No mundo científico, eles dizem que o homem é um animal evoluído, evoluiu do peixe, passando pelo anfíbio e reptiliano, ao estágio mamífero de hoje, e aqui está a raça humana hoje, após dois bilhões de anos de desenvolvimento de vida na Terra. A outra teoria, que ainda é mantida por religiosos ortodoxos, é que Deus criou cada espécie em si mesmo na Terra.

RESPOSTA: O caminho da evolução está correto. A evolução passa pelo mineral, animal inferior, planta, animal superior, ser humano, ser espiritual. Expliquei isso muitas vezes aos meus amigos. Desde a queda, os seres criados se dividiram em muitas partes. Quanto maior a divisão, menor o desenvolvimento.

Quanto mais o desenvolvimento avança, menos resta da divisão do ser original; as partículas da alma se fundem. Mas existe espírito em todos os seres criados. Há apenas menos matéria-espírito nas formas inferiores. Nesse aspecto, a ciência está mais perto da verdade, embora a ciência a interprete de forma um pouco diferente. Ele deixa de fora muitos ângulos importantes.

PERGUNTA: Posso acrescentar talvez que, neste contexto, é verdade que originalmente, antes da Queda, cada espírito foi criado separadamente. Mas os humanos encarnados estão evoluindo em uma lenta escalada da queda?

RESPOSTA: Correto.

 

120 PERGUNTA: Você mencionou [Aula # 120 O Indivíduo e a Humanidade] que milhões de anos precisam vir para completar o ciclo da humanidade. De que forma a infância e a infância podem ser contadas do seu ponto de vista? Também em milhões de anos?

RESPOSTA: Claro. Pense há quanto tempo se sabe que a Terra e a humanidade já existem.

PERGUNTA: Como você explica a ascensão e queda de civilizações e raças se generalizar agora o estado da adolescência? Eles ressuscitaram e morreram?

RESPOSTA: Parte da resposta é que algumas das almas dessas civilizações já completaram seu desenvolvimento nesta esfera específica. Outros vêm novamente em diferentes civilizações e raças para a conclusão de sua evolução. Não é necessário voltar ao mesmo ambiente.

Outra parte da resposta é uma comparação com o indivíduo. Suponhamos que, como jovem, você adota um modo de vida, uma atitude para com a vida e para com os outros, em que deseja enfrentar as suas dificuldades pessoais e as do mundo. Essa tentativa pode combinar uma série de facetas, construtivas e destrutivas, realistas e irrealistas.

Por um tempo, você parece conviver com essa solução, mas à medida que envelhece e as circunstâncias mudam, a solução não funciona mais. Então você o descarta para adotar uma nova forma de vida, talvez ainda distorcida, para que, mais tarde, tenha que se desfazer de novo. Podemos comparar civilizações que surgiram e decaíram às pseudo-soluções externas ou internas do jovem, modos de vida que combinam elementos conflitantes no eu e no mundo.

PERGUNTA: Você poderia explicar o papel do Egito? Eu posso ver a teoria das pseudo-soluções no que diz respeito à Grécia e outras culturas, mas com o Egito, algo se perdeu onde parece ter havido um conhecimento interno.

RESPOSTA: Nada real pode ser perdido. Pode parecer perdido por não estar associado ao Egito, mas isso não significa que esteja perdido para o mundo. É como no indivíduo que é obrigado a reter facetas construtivas de uma tentativa de resolver problemas, mesmo que todo o núcleo não funcione.

Ao preservar esse elemento construtivo, você não se lembra de cada vez que, em determinado período, combinou um modo de vida temporário que se mostrou insatisfatório com essa tendência construtiva específica. Um indivíduo ou uma civilização não inventa a verdade. A verdade é. Ele existe para ser usado pelos seres criados. Não pode ser extinto.

Meus queridos amigos, especificamente nesta época do ano, recebam bênçãos muito especiais para seu contínuo desenvolvimento e auto-realização. Este tempo indica um daqueles tempos de crise de que falei. O espírito de Jesus Cristo atuou visivelmente em um desses períodos cruciais de mudança. Isso marcou, na história, uma mudança entre a infância e a adolescência.

Pode parecer desproporcional que muito mais tempo tenha transcorrido da infância à infância e novamente da infância à adolescência, enquanto apenas dois mil anos se passaram e a humanidade está agora no limiar da maturidade. Repito que as fases de crescimento não podem ser medidas em estados fixos como no organismo físico.

Além disso, como também já disse, o indivíduo também pode ser mais ou menos adulto e maduro, embora continue a abrigar elementos muito imaturos e destrutivos. O fato de que a humanidade está prestes a entrar na maturidade como um todo, certamente trará uma grande quantidade de melhorias neste mundo. Mas não elimina seus aspectos destrutivos.

Há um significado no fato de eu ter escolhido este tópico específico para esta noite. A encarnação do espírito de Jesus Cristo indica o mesmo tipo de convulsão e turbulência por que passa o organismo humano quando a criança atinge a puberdade. Nesses períodos, a entidade descobre muito idealismo. Os jovens são cheios de força e ideais e, ao mesmo tempo, têm impulsos violentos, rebeldes e cruéis. Este é exatamente o estágio pelo qual a humanidade passou naquele período.

 

QA121 PERGUNTA: Eu nunca fui capaz de aceitar a extensão da Queda que ocorreu, nem mesmo falando sobre as primeiras manifestações de vida na Terra, que posso aceitar mais prontamente do que o período dos dinossauros, por exemplo, que era necessário para aqueles seres para se encarnar em dinossauros e que por milhões de anos aquelas terríveis criaturas tiveram que viver. Você pode dizer algo sobre isso?

RESPOSTA: Sim. Novamente, não é uma questão de necessidade. Novamente, é uma questão de causa e efeito. E o horror é apenas relativo e de acordo com o seu ponto de vista humano. Essas expressões de vida eram terríveis apenas em termos de tirar vidas - vidas humanas ou vidas mais fracas. Mas você não tem o mesmo, nas energias das descobertas construtivas das forças vitais neste momento nesta Terra, que você pode transformar essas energias em destruição em extensão muito maior?

Esses animais pré-históricos talvez possam, nos tempos em que viveram e habitavam a Terra - junto com todos os outros fenômenos terrestres dessa época - ser melhor comparados aos vários estágios da vida embrionária. Se você investigar a vida embrionária, ela passará por todos os tipos de formas, manifestações, que estão longe da consciência do ego do ser humano plenamente desenvolvido.

PERGUNTA: Sim. Então, no final do ciclo - se a vida de uma entidade humana for comparada à vida da humanidade - chegaremos a um ponto em que todos estarão em estado de decadência? E haverá relativamente poucas pessoas, pois há tão poucos idosos que realmente estão no auge de seus poderes espirituais. A maioria deles é realmente muito difícil de olhar. É assim que a humanidade se parecerá?

RESPOSTA: Você quer dizer quando a humanidade cresce?

PERGUNTA: Sim.

RESPOSTA: Claro que não. A decadência é um produto da falta de vida. E a falta de vida é resultado da incompreensão, do erro, da imaturidade. Quando a psique mundial, a personalidade mundial desta Terra, crescer e amadurecer totalmente, a velhice não será feia, doente. Isso não diminuirá as faculdades. Muito pelo contrário.

Chegará o tempo em que a morte física - mas isso, é claro, serão milhões de anos mais, contados em seu tempo - passará por uma transformação e será um processo muito mais gradual. A cortina não será tão forte.

Será algo talvez mais do que se poderia chamar, em termos de fenômenos psíquicos, uma desmaterialização. Nesse caso, não há decadência - o que é claro, nenhuma doença - que foi simbolizada após a morte de Jesus Cristo - a forma de morrer que não há decadência.

PERGUNTA: Uma alma mais desenvolvida espiritualmente faria a transição com bastante facilidade para transbordar? E isso já indica que essa pessoa é mais desenvolvida?

RESPOSTA: Claro. Sim. Isso está certo.

 

QA136 PERGUNTA: Posso fazer uma pergunta sobre o primeiro ser humano? Eu imagino que houve um ponto em que uma alma ou várias almas foram desenvolvidas a ponto de precisarem de um corpo humano para encarnar. E que, por um lado, o corpo estava se desenvolvendo, e por outro lado, os espíritos do grupo estavam se desenvolvendo - e em um ponto eles se encontraram. Mas ainda assim, como foi isso? Afinal, o primeiro ser humano nasceu de pais que ainda não eram humanos?

RESPOSTA: Veja, é um processo muito gradual. Você não deve imaginar que esta é uma aparição repentina. É uma coisa muito gradual que essas formas humanas pré-históricas, pouco a pouco, gradualmente mudaram para a forma humana atual. Portanto, não é um ser humano na forma presente que aparece de repente. Não. A evolução é um processo muito gradual.

 

QA165 PERGUNTA: Quando você falou na última palestra [Aula # 165 Fases Evolucionárias na Relação entre os Reinos dos Sentimentos, Razão e Vontade] nas camadas de consciência, você realmente quis dizer que há cada vez menos consciência do ponto de vista espiritual? E então você afirma "no alvorecer da humanidade". Você quis dizer que há um ponto de interseção onde a consciência é tão densa, por assim dizer, que o homem atua totalmente em sua destrutividade, com o início do estreitamento das camadas superiores de consciência? Em caso afirmativo, você pode dar um paralelo entre o que aconteceu em termos espirituais enquanto essa transição estava acontecendo na Terra do primeiro átomo de hidrogênio através da criação das algas, para o homo sapiens. E antes mesmo disso, como a separação inicial de Deus nos desintegrou até essas primeiras formas de vida? Ou o homem meio que saltou de uma existência espiritual para o corpo do homem primitivo?

RESPOSTA: A última parte da pergunta é a mais difícil de responder. Já fiz várias tentativas no passado e, sempre que o fazia, estava perfeitamente ciente de que não era capaz de transmitir.

As palavras são muito limitadas, porque a linguagem humana não abre espaço para os conceitos, ou verdades, que existem na vida espiritual. Portanto, os termos sempre soam muito primitivos ou antropomórficos.

Você sabe, é impossível encontrar o caminho. Mas pode chegar o momento em que seja mais fácil de resolver, pois isso também é uma questão de desenvolvimento deste instrumento, até que ponto posso chegar a essas questões muito, muito profundas e de longo alcance. Portanto, vou arquivar a resposta de como a consciência individual passou a existir. Eu vou reservar isso. Talvez mais tarde possamos resolver isso.

Mas quanto à outra resposta, tanto quanto pode ser dada, eu começaria perguntando: O que realmente é essa separação? A separação é uma individualização separada do princípio divino cósmico. Esta é uma manifestação separada. Nessa manifestação separada que se formou como resultado de vários processos, o grau de consciência varia. Quanto mais longe está a separação, menos consciência existe. Portanto, a matéria inanimada seria a energia mais condensada em que há menos consciência.

Você pode se surpreender quando digo pelo menos, ao invés de nada. Pois nada seria incorreto, visto que tudo é energia, e a energia deve sempre ser consciência até certo ponto. Até a matéria inanimada está consciente em algum grau. Ele contém uma consciência, pois contém energia, ou é energia.

Todo o espectro - desde o inanimado, a primeira vida, as algas, a matéria vegetal, a matéria mineral, animal, até o ser humano - todos são, grosso modo, vários graus de consciência. Quanto mais diferenciada for a consciência, mais agudamente se manifestará a desarmonia com as forças universais.

Em outras palavras, a desarmonia na estrutura viva seria experimentada como muito mais dolorosa na consciência mais desenvolvida do que na consciência menos desenvolvida. Portanto, enquanto existir destrutividade, a consciência inferior pode tolerá-la mais do que a consciência superior. Portanto, o desenvolvimento deve fazer alguns ajustes. E isso é realmente o que a última palestra foi sobre [Aula # 135 Mobilidade no Relaxamento - Sofrimento por meio do Apego da Força Vital a Situações Negativas].

Suponhamos que a pessoa primitiva que experimenta impulsos muito destrutivos seria incapaz de resistir a eles se não houvesse uma certa violação de sua capacidade de agir. Quer essa infração venha de dentro ou de fora, é realmente tudo a mesma coisa. Somente quando a consciência do homem se expande ele pode dispensar a moralidade sobreposta, pois uma retidão interior se desenvolve. Isso responde à sua pergunta?

PERGUNTA: Sim, mas você disse que talvez discutisse mais tarde como isso chegou ao que chamamos de matéria inanimada.

RESPOSTA: Bem, deixe-me colocar desta forma. Deixe-me dar esta comparação. Quando você, em seu caminho de auto-confrontação e auto-realização, descobre que é cego em um certo aspecto, essa cegueira está sempre ligada a um sentimento de aperto em você.

Quando esse aperto se dissolve, você sente uma energia viva passando por você. Até certo ponto, essa energia é transformada, por assim dizer, em matéria inanimada dentro de você. É o mesmo princípio na criação. A matéria inanimada é retida, energia condensada.

Somente quando a energia flui novamente é que a matéria inanimada se torna uma substância fluente criativa. E é disso que se trata a evolução.

Próximo tópico

Compartilhe