Fé esperança

110 PERGUNTA: Como a fé em Deus e a esperança se relacionam com este Caminho de autopurificação?

RESPOSTA: Você vê alguma contradição entre nosso Caminho e a fé em Deus e a esperança?

PERGUNTA: Bem, estou me referindo particularmente à última palestra [Aula # 110 Esperança e fé e outros conceitos-chave discutidos nas respostas às perguntas], quando você falou sobre as diferentes fases em nosso Pathwork. Houve um tempo em que se falava muito pouco sobre Deus.

RESPOSTA: Como já disse várias vezes, a razão para isso é que as pessoas invariavelmente usam Deus para fugir de si mesmas. Na realidade, você só pode encontrar Deus se voltar para o seu eu verdadeiro. Como já disse tantas vezes, tantos conceitos, princípios ou atitudes verdadeiros podem ser distorcidos e tornar-se falsos, embora desfilem sob a bandeira de sua verdadeira versão.

Isso pode ser muito sutil, mas, não obstante, é o que acontece em um autoengano. Você pode ter verdadeira fé em Deus apenas na medida em que você tem fé em si mesmo. Se a sua falta de fé em si mesmo é substituída pela fé em Deus, Deus se torna uma paródia, um ópio, uma falsidade. E a fé em si mesmo só é possível se o seu verdadeiro eu for liberado; se você removeu o conflito interno, bem como as muletas ilusórias que a psique construiu como um substituto para a verdadeira autoconfiança; se você se libertou de culpas reais e falsas.

Se a fé em Deus depende de todas essas atitudes e crenças não reconhecidas, ela é sem fundamento e não é genuína. A fé não genuína pode, na superfície, parecer muito com sua contraparte genuína. No entanto, o primeiro é baseado na fuga da verdade desagradável sobre o eu, enquanto o último não. A verdadeira fé vem da convicção genuína e da experiência interior; a falsa fé cobre o medo, a insegurança, as necessidades infantis. Para estabelecer a verdadeira fé, toda falsidade deve ser removida.

Mesmo as coisas que parecem desejáveis ​​devem ser questionadas, seja fé em Deus, altruísmo ou amor pelos outros. Cada um deles pode ser genuíno ou uma evasão, uma ilusão sob a qual o medo, a incerteza e muitas outras atitudes negativas adormecem. Tudo isso você sabe, pelo menos em teoria. É tão difícil entender que para se encontrar é preciso questionar tudo?

Se sua fé em Deus for genuína, ela não sofrerá. Se for totalmente saudável, não se desintegrará. Se for em parte, apenas a parte que obstrui sua experiência real de Deus desmoronará.

É tão difícil entender que apenas o eu real é capaz de uma experiência verdadeira produtiva? E este trabalho até agora não mostrou claramente que encontrar o verdadeiro eu exige todos os esforços, concentração e força de vontade da pessoa? Como então, é possível suspeitar, mesmo que vagamente, que nosso Pathwork se opõe à fé em Deus e à esperança? Falar sobre Deus determina a atitude interior? Isso é um parâmetro para a proximidade de Deus?

No decorrer do trabalho individual, cada um de vocês passa por momentos em que se depara com uma onda de desesperança. Já disse muitas vezes que isso deve ser tratado como um problema em si. Indica algo importante sobre suas atitudes inconscientes.

Muitas vezes reflete, na realidade, um medo de renunciar às próprias soluções falsas, atitudes destrutivas, paredes defensivas - tudo o que supostamente protege você. Desistir dessa proteção induz medo. Ser chamado a fazer isso leva ao desespero, porque você ainda não consegue ver como operar sem essas muletas e enfrentar a vida sem elas. A mesma atitude é responsável por uma indisposição interior para mudar.

Tudo isso existe dentro da alma, mesmo antes de ser trazido à luz do dia. Sua esperança superposta mascara uma desesperança interior que diz: “Se eu deixar minhas ilusões e falsas muletas, não tenho como viver, portanto, toda a minha vida é uma ilusão”. Isso é o que significa.

Essa esperança superposta é uma realidade? Não é muito melhor enfrentar a desesperança subjacente até que a esperança - assim como a fé, ou qualquer outra atitude ou sentimento produtivo - possa crescer sobre bases firmes, sem qualquer falsidade?

Falar sobre fé e esperança artificiais como se fossem genuínas, enquanto na realidade encobrem seus opostos, serviria apenas para fortalecer em vez de destruir as falsas crenças. A fé em Deus e a esperança, como qualquer outro aspecto divino, podem estar bem enraizados na personalidade apenas se os opostos ocultos forem enfrentados, compreendidos, aceitos e, assim, dissolvidos.

Se tudo isso ainda não for compreendido, se for assumido que, por não falar sobre a realidade de Deus, este Caminho está levando você para longe da divindade, então ainda existe uma confusão fundamental - não tanto sobre este Caminho como tal, mas sim sobre o eu interior, uma confusão sobre as próprias motivações, sobre o significado das próprias reações.

Em outras palavras, o autoconhecimento ainda está faltando em um alto grau. A confusão surge do próprio problema que estou discutindo: encobrir a dúvida e a desesperança com uma fé e esperança forçadas, em vez de ter fé e esperança no Agora e em si mesmo - que é sempre um subproduto do artigo genuíno.

Não digo que a camada de cobertura também não consista em fé e esperança genuínas, mas está fortemente misturada com uma tentativa de esmagar a dúvida, o medo, a evasão, a ilusão, a desesperança, a falta de vontade de mudar e muitas outras atitudes destrutivas.

Repito: você não precisa falar de Deus para estar em Deus. Encarar a verdade interior é estar em Deus - porque Deus é a verdade, e sem a verdade não pode haver amor, fé ou esperança. A verdade não significa o aprendizado de princípios, filosofias, teorias. Você tem que começar com você mesmo.

Se sua própria verdade permanecer oculta de sua consciência, você não terá nada em que construir. Cada ideia que você nutre, por mais verdadeira que seja a ideia em si, permanece superficial. Falta a força dinâmica da experiência. E essa experiência só pode acontecer quando o verdadeiro eu for liberado. Enquanto você não estiver totalmente ciente de seu eu inferior, uma verdadeira proximidade com Deus é impensável, porque ela se interpõe entre você e a divindade.

Todas as discussões, palestras e sermões sobre Deus não vão trazer você nem um pouco mais perto. Só enfrentar aquilo dentro de você de que você se esquiva o fará. Portanto, fé e esperança não são contraditórias, nem incompatíveis, nem apenas algo remotamente ligado a este Caminho de auto-busca. Eles são uma parte integrante, ou melhor, um resultado inevitável deste trabalho, como o são o amor ou a verdade.

Próximo tópico

Compartilhe